Meu Filho Começou A Roer As Unhas!

roer-as-unhasO hábito de roer as unhas pode ter início por diversos fatores: tédio, imitação, cansaço,estresse e ansiedade.

Com 3 a 4 anos a criança já cria uma certa “independência”, pois já faz algumas coisas sozinhas. E o fato de estar crescendo pode gerar ansiedade no seu filho.

Grandes alterações no cotidiano da criança, como a chegada de um irmãozinho, o divórcio dos pais, mudança de escola, de cidade ou de babá também podem desencadear esse hábito, que pode durar a vida toda.

Quais As Consequências?

As unhas podem ficar deformadas e mais sensíveis à dor, além das mãos serem uma fonte fácil para infecções bacterianas e virais.
Roer unhas também traz problemas dentários e problemas no estômago, quando as unhas roídas são ingeridas.

E na questão psicológica e social, a criança (ou adolescente) pode apresentar baixa auto estima, se sentir envergonhada por conta das unhas e até começar a evitar contato com as outras pessoas.
filhos-roer-as-unhas
A primeira solução que muitas mães utilizam é passar nas unhas das crianças substâncias ou esmaltes com sabor ruim para que evitem de colocá-las a boca. Além do risco de reações alérgicas se passadas nos olhos, isso é encarado como punição para a criança.

Porém lembre -se que o hábito foi desencadeado por alguma ansiedade/frustração que precisa ser tratada ou superada e o castigo além de não resolver pode gerar ainda mais stress pelo fato da criança não conseguir controlar a atitude.

O Que Fazer Então?

  • Não Brigue: Muitas vezes a criança não tem noção do hábito que adquiriu e rói as unhas inconscientemente, então brigar não vai resolver.
  • Elogie ao invés de criticar: A criança tende a responder muito melhor a um elogio do que a uma crítica. Enfatizar o quão bonitas estão as mãos ou como a frequência do hábito tem diminuido motiva muito mais do que lembrá-la o tempo todo do mal hábito e dizer o quão está feias as suas unhas.
  • Converse com seu filho: Explique os danos que esse hábito pode causar e se mostre interessada em ajudá-lo a acabar com o problema.
  • Não o exponha: Para não gerar ainda mais ansiedade, crie um código entre vocês que o faça perceber que está roendo as unhas sem que você precise falar na frente das pessoas. (Ex: Coçar o nariz, piscar 2 vezes…).
  • O distraia: Para não ficar maçante e chato, ao invés de chamar a atenção da criança toda vez que ela estiver roendo as unhas, a convide para alguma atividade, preferencialmente que use as mãos (massinha de modelar, desenhos…) ou mesmo para cantar uma música.
  • Faça as unhas das meninas: O fato de estarem com unhas unhas pintadas e não quererem estragar, pode inibir o vício.

Caso perceba que acompanhada do novo hábito de roer unhas a criança está com alterações comportamentais, como agressividade, impulsividade e impaciência é aconselhado procurar ajuda psicológica para descobrir a fonte de tudo isso. De nada adianta tratar o problema quando a causa não é resolvida, certo?

Gostou? Compartilhe!!