Progressos Na Introdução Alimentar! – Método BLW

blw001 semana depois da introdução alimentar vim contar nossos progressos!
Depois de muito pesquisar, chorar e me preocupar decidimos pelo método BLW para a introdução alimentar da Sara.

Colocamos ela no cadeirão e começamos com a laranja lima cortadinha (sem caroço), colocamos na bandeja para que ela pegasse, mas não tivemos muito sucesso. rsrs
Fomos tentamos banana, cenoura, brócolis, batata… e nada! As vezes ela colocava a mão, poucas vezes conseguia pegar (escorregava) e raramente colocava na boca.

blw04

Ainda meio insegura decidi apelar para a colher, amassava as coisas e enquanto ela explorava o alimento com a mão eu colocava o alimento amassadinho na boca dela.
Entrou um pouco de pêra, um pouco de cenoura, um pouco de brócolis, mas nada de mais.

Depois de dois usando essa técnica criada por mim, que chamo de “BLW com colherada a força”, percebi que a Sara começou a travar a boca, virar a cara… e o pior, parou de deixar eu escovar os dentes dela com a gaze (coisa que ela sempre curtiu) e até pra limpar a boca/nariz estava virando um drama. Entendi que estava a traumatizando e fiquei com receio dela acabar associando a comida com algo ruim e decidi dar uma relaxada.

Como já havia estudado bastante a respeito, sabia que até 1 ano o alimento principal do bebê continua sendo o leite. Então, decidi que ofereceria os alimentos para ela, mas que respeitaria o tempo e a forma dela processar essa novidade.

Na quinta-feira fiz o almoço dela (que é o mesmo que o nosso, mas sem sal), coloquei em um pratinho, montei o meu prato e sentei junto com ela no tapetinho. Relaxei total e nem me importei se ela iria encostar, comer ou tacar a comida. Deixei ela explorar caso tivesse vontade de fazer isso. E pra minha surpresa, pela primeira vez ela se interessou pelo que ofereci, pegou tudo, esfregou no prato, no tapete, na perna, esmagou na mão e colocou tudo na boca. Dizer que COMEU é algo um pouco profundo para o que aconteceu (rsrs), mas ela sentiu os sabores e fez o que ela teve vontade enquanto aprendia coisas novas.
Mantive essa forma de apresentar os alimentos e estava ansiosa para uma roda de conversa sobre BLW e introdução alimentar participativa que teria no sábado (Pediatria Descomplicada).

blw02

Sábado fui para a roda de conversa e foi bem legal ouvir que meus instintos estavam corretos, fiquei aliviada, feliz e empolgada com essa fase que me assustava um pouco.
Recebi muitas dicas de como preparar as comidinhas e formas mais respeitosas de apresentar e ensinar a criança sobre os alimentos. E é o que tenho feito nesses últimos dias, nada de forçar, nada de enfiar na boca dela, nada de criar grandes expectativas com o fato dela comer ou não. Ela está aprendendo no tempo dela o que é se alimentar e estou muito feliz com o progresso tão rápido que ela tem tido.

Laranja virou algo delicioso e nem preciso ajudar muito pois ela nem solta mais a fruta direito. rsrs
Tenho oferecido o alimento na minha mão para ela pegar pois ainda rola um pouco de dificuldade de tirá-lo da superfície (prato, bandeja ou tapete). Mas ela pega e leva sozinha para a boca praticamente todas as vezes.
As caretas e tremiliques estão diminuindo e o interesse pela comida (que pra ela ainda é mais um brinquedo) está aumentando.
Como o bracinho ainda é curto e a bandeja do cadeirão é um pouco funda, ela não consegue pegar as coisas muito bem, então para começar achei melhor deixar o tapetinho dela limpinho e colocar o alimento ali para ela pegar.
Sei que o cadeirão é melhor para ela entender o local de comer e também para começar a fazer as refeições junto com a gente na mesa. Só vou esperar mais alguns dias para ela ter um pouco mais controle dessa pega e vamos tentar o cadeirão novamente.

blw01

Hoje fiz almôndegas de carne moída e foi um mega sucesso. Ela ficava desesperada quando a bolinha (na verdade fiz mais parecido com o formato de kibe para facilitar a pega) caia e se jogava pra pra pegar de volta. Foi uma delícia vê-la realmente curtindo e explorando a comida. Ela fez a maior lambança com os outros itens (abobrinha, espinafre e arroz integral) e ficou quase meia hora brincando com tudo.

Estamos progredindo e acredito que agora ela esteja curtindo mais essa nova brincadeira.
Aprender a se alimentar é uma enorme forma de desenvolvimento e acredito que minha pequena está evoluindo muito bem! Apesar de todo trabalho e sujeira, estou feliz, bem feliz nessa primeira semana de introdução alimentar.

Gostou? Compartilhe!!