Sobre dizer: Não Foi Nada!

53421842_1001739393349028_4295298339194273792_nOk! Analisando pelo seu ponto de vista adulto realmente aquele tombinho no degrau que não resultou nem em um raladinho no joelho pode “não ter sido nada”.

Sim, seus problemas são milhões de vezes maiores, as dificuldades da sua vida também… mas para aquela criança, aquele momento pode sim ter sido algo muito ruim, de medo, de vergonha, de insegurança, de dor…

A escala de sofrimento dela é diferente do seu, então NÃO MENOSPREZE ESSE SENTIMENTO!!!!!! E não reprima a criança de expressar o que ela está sentindo.
Você acha que seria saudável se ela guardasse todos os sentimentos negativos e nunca colocasse nada para fora?
Pois é isso que ela aprende cada vez que dizemos “NÃO FOI NADA”, “NÃO PRECISA CHORAR POR ISSO”, “PARA DE CHORAR”…
Se a criança está chorando, é porque ela não conseguiu lidar com a situação e precisou chorar. Ela ainda está amadurecendo e aprendendo a regular suas emoções.

Nosso papel é mostrar empatia, validar seus sentimentos e ajudá-las a encontrar uma forma de solucionar o problema quando necessário.
Pergunte o que ela está sentindo e demonstre que você se importa com aquilo que a criança diz.

Se até nós, muitas vezes perdemos as estribeiras e potencializamos a forma de expressar o que estamos sentindo (quem nunca deu um chilique?). Quem dirá uma criança, não é verdade?
Criança não é um mini adulto, ela ainda está em formação e precisa da nossa ajuda para compreender seus sentimentos e emoções.
E cá entre nós, eu também não curto quando menosprezam aquilo que estou sentindo, principalmente quando estou com esse sentimento à flor da pele.

A criança que se sente amparada, com o tempo será capaz de desenvolver autocontrole e conseguirá sozinha fazer sua regulação emocional.
Aproveite a oportunidade, quando abraçamos os sentimentos dos pequenos de forma empática, aprendemos a lidar muito melhor com as nossas emoções.

Gostou? Compartilhe!!