Vacina – “Mamãe, Vai Doer?”

58654739_1031265750396392_867251491604267008_nPouco antes de levar a pequena pra tomar vacina, uma pessoa me perguntou “ela sabe que vai tomar vacina?”
Sim! Ela sabia que ia tomar vacina e sabia que ia doer um pouco.

Mas por quê falar isso pra criança? Ela vai ficar com medo!!
Ué, porque é verdade! rsrs
Seria muita sacanagem sair com uma criança, que já conversa super bem, pra tomar vacina sem informá-la. Eu odiaria ser pega de surpresa pra fazer algo desse tipo.

Alguns dias antes, coloquei o desenho Daniel Tigre (AMO esse desenho) no episódio em que ele toma vacina (Temp1 Ep19 – Netlflix).
Eles explicam o que acontece, pra que serve, que dói, mas é rápido, mostra os procedimentos e ensina a criança a fechar os olhos e pensar em algo feliz para não ficar com medo.

Assisti o episódio algumas vezes com ela, expliquei novamente como seria, brincamos de tomar vacina e instiguei a curiosidade dela de saber como seria o curativo que ela ganharia (o Daniel ganha um de herói). Falei que achava que seria de bolinha (sou vidente! kkk).

No dia ela estava super empolgada, quando entramos na sala, a enfermeira me perguntou se preferia na perna ou no braço, perguntei para ela que rapidamente respondeu “nesse braço”.

Ela fez mil perguntas enquanto a enfermeira preparava tudo e quando ela chegou perto com a seringa, a pequena me abraçou, falou que estava com medo e perguntou se ia doer muito. Respondi que ia doer um pouco, mas que seria bem rápido. Falei para fechar os olhinhos e pensar na bananinha e no mel (ela tinha falado antes que isso a deixava feliz rsrs).
Ela chorou na hora da aplicação e assim que a enfermeira colocou o curativo, ela já falou “olha mamãe, é de bolinha”. E pronto!
Saiu radiante mostrando pra todo mundo o curativo de bolinha e falando que doeu um pouquinho, mas foi bem rápido.

Quando seu filho perguntar algo, fale a verdade!! Parece bobo, mas imagina a quebra de confiança que pode acontecer quando você diz “não vai doer nada”, quando na verdade vai doer sim!
Entendo que seja para evitar dramas antecipados, mas pense a longo prazo, melhor algumas horas de “drama” do que uma sementinha de desconfiança plantada no coração da criança que pode ser regada a cada nova pequena decepção. Cuidado!

Gostou? Compartilhe!!